Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

HISTORICO DA PÓS-GRADUAÇÃO Stricto Sensu NA UFVJM 

A Pós-Graduação Stricto Sensu na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM foi formalmente implantada em 1994, quando a Instituição era denominada de Faculdade Federal de Odontologia – FAFEOD, com o início do funcionamento do Programa de Pós-Graduação em Estomatologia, recomendado pela Capes, sob a coordenação da Profa Mireile São Geraldo dos Santos Souza. Este programa funcionou até em 2001 titulando vários profissionais, muitos dos quais servidores da Casa.

Em 2002 a então FAFEOD passa a agregar mais 6 cursos de graduação e é transformada pelo MEC em Faculdades Federais Integradas de Diamantina – FAFEID, com duas unidades acadêmicas, a Faculdade de Ciências da Saúde - FCS e a Faculdade de Ciências Agrárias FCA. A chegada de vários novos docentes doutores, ávidos por dar continuidade a seus projetos de pesquisa e de inovação, tornou-se premente a dotação de infra-estrutura para a pesquisa e a criação de programas de pós-graduação.

No ano seguinte (2003), a FCA institui uma comissão permanente com intuito de elaborar uma proposta de um programa de pós-graduação Stricto sensu para encaminhar á CAPES. Esta comissão, formada pelos profs. Alexandre Christofaro Silva (Departamento de Engenharia Florestal), José Sebastião Cunha Fernandes (Departamento de Agronomia), Luís Antônio da Silva (Departamento de Ciências Básicas), Márcio Ladeira (Departamento de Zootecnia) e Pedro Angelo Almeida Abreu (Departamento de Ciências Básicas), fez uma viagem de mais de 2 mil km, visitando e se reunindo com coordenadores de programas de pós-graduação da UNESP – Jaboticabal - SP, Esalq/USP – Piracicaba - SP, UFLA – Lavras – MG, UFV – Viçosa MG e UFMG, Belo Horizonte MG, com intuito de colher informações para embasar a elaboração da proposta de um programa de pós-graduação Stricto sensu.

Esta mesma comissão foi incumbida de elaborar propostas e encaminhar à Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP/MCT, para dotar a Instituição de infra-estrutura física e de equipamentos sofisticados, ambos multiusuários, para a pesquisa.

Em 2005, ano da criação do campus do Mucuri e da transformação da FAFEID em UFVJM, foi recomendado pela Capes o primeiro programa acadêmico de pós-graduação Stricto sensu da instituição, já como universidade: Mestrado em Produção Vegetal, coordenado pelo prof. Alexandre Christofaro Silva.

Neste mesmo ano a UFVJM aprovou seu primeiro projeto para construção de infra-estrutura e aquisição de equipamentos multiusuários para pesquisa: o Laboratório Integrado de Pesquisas do Vale do Jequitinhonha – LABVALE. Inaugurado em 2006, este laboratório multiusuário que se constitui o marco inicial da construção amplo, moderno e sofisticado do parque analítico da UFVJM.

O segundo programa acadêmico de pós-graduação Stricto sensu, Mestrado em Zootecnia, entrou em funcionamento em 2008, seguido dos Mestrados em Química e Ciências Fisiológicas (multicêntrico) em 2009 e Ciência Florestal e Odontologia em 2010. 

O ano de 2010 foi marcante na história da pós-graduação na UFVJM: entraram em funcionamento o primeiro curso de doutorado, em Ciências Fisiológicas (Multicêntrico), coordenado pela Profa. Ana Cristina Rodrigues Lacerda e o primeiro programa profissional de pós-graduação Stricto sensu, o Mestrado em Saúde, Sociedade e Ambiente, coordenado pela profa. Rosana Passos Cambraia.

A partir daí, a pós-graduação na UFVJM experimentou um crescimento vertiginoso, incrementado com a criação dos programas em Ensino em Saúde (Mestrado Profissional) em 2011 e em Ciências Farmacêuticas (Mestrado acadêmico) em 2012. 

Em 2013, a UFVJM inova mais uma vez, com a criação, em associação com a Universidade Federal de Uberlândia, do programa em Biocombustíveis (Mestrado Acadêmico e Doutorado), coordenado pelos Professores Alexandre Soares e José Domingos Fabris. Este foi o primeiro curso de Doutorado em Biocombustíveis a ser criado e entrar em funcionamento no Brasil. Ainda neste ano, mais dois programas com cursos de Mestrado Profissional foram criados, Ciências Humanas e Gestão de Instituições Educacionais (Educação). Com três anos de antecedência, a UFVJM, uma nova Universidade, com apenas 8 anos, ultrapassou o número de cursos de mestrado e doutorado para manter o título de Universidade.

A chegada de novos docentes e a ampliação da infra-estrutura física para a execução de projetos de pesquisa estimulou os grupos de pesquisa da UFVJM a criarem vários outros programas em diferentes áreas do conhecimento.

O campus do Mucuri, criado em 2005, conquista seu primeiro programa de pós-graduação em 2014, o Mestrado Profissional em Tecnologia, Ambiente e Sociedade, coordenado pelos Profs. Alessandra Carli e Carlos Henrique Alexandrino. Neste mesmo ano, começa a funcionar na UFVJM o programa Multicêntrico em Química, com o curso de Doutorado em Química, coordenado pela rede mineira de Química.

A pós-graduação da UFVJM começa a mostrar sua consolidação no ano de 2015. Os programas de pós-graduação em Produção Vegetal, Ciência Florestal e Odontologia passam também a contar com cursos de Doutorado, frutos de elevado desempenho científico e acadêmico, reconhecido pela CAPES. Ainda em 2015 entram em funcionamento os Mestrados Acadêmicos em Reabilitação e Desempenho Funcional e Biologia Animal e, no Campus do Mucuri, o Mestrado Profissional em Matemática.

A comunidade acadêmica continua a mostrar sua excelência, e, em 2016 começam a funcionar os Mestrados Acadêmicos em Ciência e Tecnologia em Alimentos e Estudos Rurais, e no Campus do Mucuri, o Mestrado Profissional em Administração Pública. Mais três propostas de criação de novos cursos de mestrado são encaminhadas á CAPES.

Em 10 anos (2006-2016) o crescimento do sistema de Pós-Graduação da UFVJM foi exponencial. São 20 programas de pós-graduação Stricto sensu, em dois de seus campi (Diamantina e Mucuri), que abrigam 12 cursos de Mestrado Acadêmico, 7 cursos de Mestrado Profissional e 6 cursos de Doutorado. Estes programas já qualificaram um expressivo número de mestres e inicia a qualificação de doutores em 9 grandes áreas do conhecimento, centenas destes servidores da UFVJM.

A UFVJM cumpre seu papel na sociedade brasileira ao qualificar cidadãos críticos e formar profissionais de alto nível, que atuam na academia, na iniciativa privada e no serviço público; ao produzir e disseminar conhecimentos, tecnologias e inovação para, com responsabilidade social e ambiental, contribuir para elevar a qualidade de vida da população do nosso País.

Prof Alexandre Christofaro Silva – DEF/FCA/UFVJM